quarta-feira, 25 de maio de 2016

Quando ele chega...

Quem não é acostumado com ele se assusta e se perde no guarda-roupa na hora de sair de casa. Quando está na rua não tira as mãos dos bolsos e não para de esfregá-las na intenção de gerar calor. Na hora do almoço surge as vantagens, pois dá um apetite a mais, porém no momento da digestão a vontade de dormir é multiplicada por três.
Ao chegar em casa e enfrentar o banho parece algo desanimador, mas basta ficar alguns minutos a mais debaixo da água quentinha e o medo da água vai pelo ralo. Desligar o chuveiro parece uma péssima ideia; enxugar já é uma ideia péssima. Ao deitar para dormir é uma maravilha, enrola daqui, dali, acrescenta cobertor sobre edredom e tudo que for de aconchegante, aguardando o sono ininterrupto sorrateiramente aparecer.

Mas hoje foi assim... Encontrei uns gostando e outros detestando. Uns agasalhados e outros arrepiados como galinhas sem penas. Uns elogiando e outros criticando, mas no final o clima frio trás uma sensação de aconchego no sofá, na cama e até no chuveiro. Eu particularmente gosto quando ele chega, mas as crianças e idosos sofrem mais com isso. Talvez quando for velhinho eu seja um dos que com o nariz de fora comece a dizer que o frio é ruim, mas até que este dia não chegue eu fico tomando meu banho na opção mais quente que existe e me enrolando na coberta de uma cama quente, sem falar no detalhe do almoço...

Bate o aperto em saber que alguém está em algum lugar, em casa, na rodoviária ou na calçada, deitado, em pé ou encostado tentando desviar do tremor da baixa temperatura. O frio é gostoso quando se tem como proteger, tudo é bem melhor quando há proteção. Sem proteção tudo é muito triste e desanimador... 

E já está na hora de entrar no casulo e sentir o frio ficar lá de fora. Certa vez dei uma blusa de frio para um andarilho, mas o que me desanima é que não adianta entregar a blusa e depois virar as costas; e muitos não querem ser ajudados. Querem apenas uma solução momentânea para o frio, mas não tem forças nem apoio para dar uma solução na vida solitária e fria da sociedade humana. O frio chegou mas vai embora com certeza porque a região em que moro não é propicia a este clima durante todo o ano. Um dia, a frieza do ser humano também há de ir, e entenderemos que somos pó e ao pó voltaremos. Sem falar que para a matéria que é destruída, o próprio frio lá é inevitável e imbatível. Que venha o frio pela estação ou pela massa de ar, e que o ser humano reconheça Deus que trará calor ao coração humano.
Bom frio para nós aqui!
  

Nenhum comentário:

Postar um comentário