segunda-feira, 10 de março de 2014

Testando o vinagre.

Um dia, na atividade de servente de pedreiro em uma construção, na modalidade "trabalhando coletivamente para lograr um fim" mais conhecido como mutirão, ouvi um deles dizer: "Eu já vou parar por aqui, meu joelho foi pro vinagre..." Ora, eu pensei que o vinagre só entrava em cena quando os coadjuvantes eram o tomate e a folha de alface. Estando inteiramente enganado, descobri nesta semana passada que ele não foi feito para ser colocado como tempero nas folhinhas, mas que existem outras finalidades.

Um Fusca 1.966 ainda permanecia com algumas capas sobre os seus bancos, um cuidado excessivo do antigo dono que resultou na preservação do estofamento. O banco do veículo não ficou intacto como ele queria, mas preservou parte dele. Como resultado de algumas décadas o forro branco deu uma escurecida e algumas partes ficaram encardidas. Quando tirei as capas não acreditei que estava diante de um material com quase meio século de vida, precisamente quarenta e oito anos...

Então, falando com os meus botões (e com os botões do painel do 66)  fiz algumas perguntas: "O que usar para limpar os bancos?" e "como desencardir bancos brancos?"...  Em seguida: "O que fazer para tirar mancha dos bancos?"... Confesso que o meu questionário ficou pronto e lá fui eu tentar resolver.

Bucha com sabão em pó, bucha com sabão de barra, pano com querosene, pano com detergente... nada adiantava da forma que eu precisava, mas quando interroguei a minha esposa ela me disse: "Vinagre"... Eu fiquei duvidoso, mas na hora não dei muito crédito, talvez se eu tivesse perguntado: "O que eu vou colocar para tirar a acidez da cebola?"... A resposta viria na medida certa.

Logo inventei umas desculpas esfarrapadas para ter que ir ao supermercado, afinal de contas como eu iria dizer que queria ir lá, só para comprar vinagre? Seria criticado até começarem os jogos da copa. Então dei um jeito e fui parar lá no corredor que tem condimentos, ao longe avistei meu querido companheiro "vinagre". Retornando para casa, tirei os bancos do fusquinha e lá fui eu na missão impossível de temperar o banco, quero dizer, limpar o estofamento.

Minha surpresa foi tamanha que não parei no primeiro, tirei todos eles e comecei a limpar parte por parte, e tamanha foi a minha satisfação que faltava apenas um banco, quando me lembrei que além do Fusca eu tenho um blog. Resolvi tirar uma foto do banco antes e depois do vinagre, para auxiliar alguém que queira dar uma desencardida no estofamento. Tenho certeza que faz efeito em qualquer tipo de napa, couro ou sintético.

E no final, faltando apenas uma parte para limpar, puxei a esponja mais rápido o que fez respingar vinagre no meu olho verde. O ardor foi tanto que pensei que tinha rasgado o globo ocular. Levantei apressadamente, demorei alguns segundos para achar a torneira da pia e enfiei cabeça no rumo da pia, para a água escorrer pelo olho. Ainda bem que eu estava na cozinha de casa, imagina se estou lá na garagem? Até achar a torneira lá no canto... Outra coisa, só um amante de Fusca, tira os bancos e limpa-os na cozinha de casa.

Depois que o olho parou de arder, desliguei a torneira e voltei para minha tarefa. Não conseguia piscar direito e a cada minuto lacrimejava mais, parecia que eu estava vendo um final de filme romântico... (não que eu chore em filmes românticos, só uma vez quase chorei, mas foi quase, segurei e não chorei, verdade). Quando terminei não acreditava como aqueles bancos encardidos ficaram diferentes, apenas na parte do tecido não limpei, pois o tecido estava  bem ressecado e poderia rasgar; mas a parte branca melhorou muito. Agora recomendo vinagre para limpar bancos de automóvel, pois sei por experiência própria que o vinagre limpa mesmo! Além de saber que o vinagre limpa manchas encardidas do tempo, aprendi que não é só a "pimenta nos olhos dos outros é refresco", mas o vinagre também. Logo abaixo foto do banco do Fusca antes de ser limpo com vinagre e depois de ser "temperado".

Banco do Fusca antes do vinagre: encardido.

Banco do Fusca depois de limpo com vinagre - (parte branca)

Os dois bancos depois de limpo com vinagre.

3 comentários:

  1. Jefferson, seu censo de humor para escrever é o mais legal em tudo que escreve. Quando penso que está falando sério, vem alguma coisa engraçada, que daí é sério novamente, que caminha para algo que me faz rir, mas na realidade é sério. Suas postagens são muito legais, gosto quando escreve sobre a vida, mas gosto mais ainda quando conta as coisas do seu ponto de vista, coisas da sua infância, sei lá. Continue a escrever, eu tenho o hábito de ler o que escreve. Ficou mais fácil comentar agora. Um grande abraço e continue assim, eu estou pedindo para me fazer sorrir, rir, e muitos rsrsrs.
    Leila.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Leila! Só tenho que agradecer pelo seu comentário e pelos elogios. Pretendo continuar escrevendo, embora a frequência tenha diminuído. Um abraço também e mais uma vez obrigado!

      Excluir
  2. VInagre no olho kkkkkkkkkkk valeu pela dica!

    ResponderExcluir