sábado, 14 de dezembro de 2013

Colecionando promessas.

Até parece que o ano é um filme que está chegando ao fim, daqueles que sabemos o final e no entanto ficamos esperando cada cena acontecer a seu tempo. Não é de surpreender o fato de que estamos vivenciando os dias derradeiros de 2.013 e no mesmo instante, lançarmos adiante as intenções e projetos que ficaram escorados em um galpão no fundo de nossas vidas.

O 2.012 já está em "decomposição" e ainda trazemos dele os sonhos que ficaram por realizar, os projetos à beira de concretizar e também promessas feitas como que, de mão para trás e dedos cruzados. Simplesmente olhamos, e maquiando uma realidade, confortamos a nós mesmos com a seguinte explicação interior: "No ano que vem vai ser assim, será assim, farei assim, terá que ser assim...

Este 2.013, ora andando; ora capengando; já não pode dilatar prazos para ninguém mais. Quem administrou bem a vida, o tempo, as oportunidades e outras coisas mais, pode dizer ao ano velho: "Foi bom enquanto durou."... E aquele que simplesmente se enrolou com a sequência de doze meses costuma dizer: "Nossa! O ano passou voando!" Até parece que o tempo é um pássaro que bate asas e simplesmente passa por nós...

Na virada de 2.012 para 2.013 existem promessas como: parar de fumar, parar de beber, começar a praticar um esporte, ser mais amigável, ser menos intolerante, trocar o carro, comprar uma casa, noivar, casar, ter filhos, passear, viajar, vender, crescer, plantar, e infinitas promessas mil... A água gelada vem de encontro o rosto quando vemos o 2.013 com suas barbas alvas e passos dificílimos pegando as coisas e fazendo as malas.

Prometer algo que deva-se fazer no decorrer do ano seguinte, é simplesmente pegar uma folha de  cheque já pré-datado e passar uma caneta rasurando a data e escrevendo: "Bom para... o dia que der... em 2.014". Eu simplesmente não quero prometer nada a ninguém, mas prefiro lutar contra as minhas próprias vontades para ser mais agradável, mais humano, mais amigo, mais próximo de Deus... Perto de Deus todas as coisas ficam mais fáceis de fazer, resolver, mais fácil de ser...

Que neste ano de 2.014 todos nós possamos ser pessoas que olham umas para as outras, e enxergam a mesma coisa, como uma imagem refletida no espelho, porque afinal de contas, depois que vai-se embora o fôlego de vida, a matéria que compõe o corpo do ser humano é simplesmente composta da mesma coisa um dos outros. Não quero colecionar mais promessas, nem prometer não prometer. Quero simplesmente olhar para o dia que clareia, buscar e sentir Deus, mais perto de mim...

2 comentários:

  1. Muito lindo Jefferson o que escreve. Os seres humanos teriam que ser assim, humanos. Humanos que sabem sua natureza e que dependem de Deus. Ser pobre de espírito significa saber que depende de Deus. (MT 5:3). Você deve ser muito mais lindo por dentro do que por fora.
    Paz!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Em primeiro lugar, muito obrigado por suas palavras... Depois, só tenho a dizer que: Não tenho mais nada a dizer, pois disse tudo!
      Pena que não identificou-se, gostaria de agradecer sabendo ao menos o seu nome. Obrigado mais uma vez.
      Paz, meu amigo, ou amiga...

      Excluir