quarta-feira, 31 de outubro de 2012

É puro o seu sentimento?

O romance que envolve filmes e livros baseados em fatos reais costuma prender a atenção e criar  expectativas no coração de quem o vê acontecer, seja em forma de um filme ou um pequeno livro. Interessante que os autores criam um romance surreal, algo que também excede o mais sublime dos sentimentos. Em nosso mundo real, longe de estórias e teatros, a realidade é bem diferente, principalmente quando atentamos para tudo que acontece ao nosso redor.

Há anos atrás, já tive a curiosidade de seguir novelas (já não sigo mais), sempre uma história de amor muito linda e forte que se dispõe a lutar contra tudo e todos e contra as condições mais humildes de se viver. Livros também contam sobre casais apaixonados que se entregam de corpo e alma e caminham juntos em busca de uma vida completa e muito feliz. Não longe, filmes que retratam a tragédia do passado são imbuídos de romance para segurar o telespectador em suas respectivas poltronas. Seria algo sem sentido passar no cinema por exemplo; o filme "Titanic" simplesmente contado que o grande navio se chocou com um iceberg e afundou. E mais outros filmes tem romances misturados às suas cenas.

Aqui nesta vida real, em que é preciso respirar para viver, alimentar-se para permanecer saudável e dormir para renovar as energias do organismo; simplesmente não é tudo um mundo colorido. O amor é um sentimento muito lindo e real, mas pessoas motivadas pela simples atração tem confundido os sentimentos e sensações. Casos de pessoas que começam a namorar e logo casam-se acreditando ter encontrado sua outra metade na primeira pessoa que está se sentindo atraída, é como dar um tiro no escuro. Machucam-se e ferem também outros à sua volta.

Um casal de namorados, resolveram lutar contra tudo e todos, sem provar se o sentimento que existiam neles mesmos era forte o bastante para passar situações da vida secular. Resumindo a narração, quando a "fome" apertou a campainha, o "amor" saltou pela janela e foi embora... Depois dizem, não era para ser mesmo... Claro que não era!

Aprenda a provar os seus sentimentos...
Vêm o seu questionamento: "Como assim provar?"
Digo provar no sentido de imaginar a sua vida a dois com algumas dificuldades. Isso mesmo, já imaginou sua vida com a pessoa que ama, e de repente você estando desempregado? Doente? Sem uma moradia fixa? Desentendimentos? Infidelidade?
Repense sua vida! Viva a vida da maneira mais simples de viver. Valorize primeiro os que são mais próximos de você e então se tiver amor suficiente para outra pessoa, é sinal que o seu sentimento é puro... Não me venha querer dizer palavras de carinho para uma namorada, noiva ou até mesmo neto, sobrinho ou outro grau parentesco quando na verdade nem para os seus você tem a palavra de consolo.

O verdadeiro amor não está nos móveis e cômodos do grande palácio onde vais morar, mas na simplicidade do querer bem quando ainda moras em uma choupana. 

3 comentários:

  1. Nossa Jefferson até parece um poeta. Já tentou escrever poemas aqui? Escreve que eu leio todas, desde quando o bog chamava "Tudo que escrevo". Você tem inspiração mesmo!
    Richelly

    ResponderExcluir
  2. Jefferson, tem gente que dá valor no que vê e não no que sente. Por isso é certo aquela frase: Da-se valor quando perde. Estou cansada de ver tanta gente sendo materialista e valorizar quando se tem um carro bom ou uma casa boa, estou exausta destas pessoas que fazem outras de degrau para ganhar um promoção no trabalho, estou enfadada das falsidades que me cercam em todos os lugares. O ser humano perdeu a essência da vida, o valor do ser humano e passa a ser, e ter sentimentos iguaizinhos à uma geladeira. Socorro Vida!

    Regina.

    ResponderExcluir
  3. O que mais poderei esperar de um ser que quando chega em putrefação, nem os urubus se atentam... Aprendi que devemos valorizar sim. aqueles que merecem valor.

    ResponderExcluir