segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Por quê a chuva?


Os noticiários costumam citar o trecho "por causa das condições climáticas" e "por causa da forte chuva", justificando o acontecimento "acidente" que foi provocado propriamente pelo ser humano de carne e osso, denominado aqui de motorista. Será que estamos vendo os primeiros acidentes acontecerem nas estradas? Será que estamos vendo as primeiras barbaridades que resultam em mortes nas estradas do Brasil? Não!

Recentemente ao enfrentar uma condição adversa na rodovia, trafeguei juntamente com uma multidão de carros na velocidade média de 50 km/h por não haver muita visibilidade naquele trecho, pois chovia intensamente de maneira assustadora. Demorei para chegar ao destino muito mais do que havia previsto, mas cheguei. Diferente de outros motoristas que em suas pressas e compromissos inadiáveis cortavam a pista confiando em seus carros, em si mesmos e nos pneus de seus automóveis que em certos momentos se separavam do solo.

No trajeto de volta, estava lá, o inesperado, o incalculado, o imprevisto... O acontecimento do terrível acidente envolvendo veículos. Ninguém sai de casa ou parte da origem se preparando para colidir com outro automóvel, caminhão ou carreta. Não existe um motorista que viaja preparado para se prender às ferragens retorcidas de seu caminhão ou ônibus, logo vemos que ninguém sai de viagem pensando em ficar no caminho esperando socorro médico por causa de um envolvimento acidental...

Se tratava naquele momento de um acidente envolvendo carretas que faziam suas respectivas viagens e um carro de passeio com os familiares. Um dos veículos aquaplanou e durante a manobra de parada ocorreu o acidente. Cinco pessoas da mesma família deixaram de existir por conta de uma aquaplanagem...

A camada de água que separa os pneus do solo faz com que se perca a direção do veículo. Como motorista já tive esta experiência que me fez congelar a coluna e tremer por mais de dez minutos depois do ocorrido. Depois desse dia, depois que fui apresentado pessoalmente para a "aquaplanagem" decidi não querer encontrá-la mais. Ando devagar, demoro chegar, atraso meus compromissos, mas prefiro chegar atrasado do que nunca mais chegar.

Não foi a chuva, choveu na rodovia inteira, choveu na cidade inteira, na região toda... Era para todo mundo se acidentar então... O que acontece é que o ser humano confiando em sua habilidade de dirigir não considera que existem riscos à frente. Depois que se ouve o grande estrondo e barulhos de vidro caindo e estilhaçando no chão, percebe-se que não adiantou os vários anos atrás de um volante e toda aquela habilidade nada mais valerá...

Tenham medo de morrer, de matar, de ferir, de sofrer... Respeitem as condições adversas sejam elas na cidade, na rodovia ou na zona rural... Perceba que se você como condutor, deixar de existir vitimado pela imprudência própria ou de terceiros, ocasionará sofrimento aos que ficarem... O risco também do acidente  deixar sequelas é grandiosíssimo... Não queira ficar em uma cadeira de rodas para o resto de sua vida por conta de uma pressa em um pequeno instante ou compromisso do dia. Viva a vida e deixe os outros viverem também.

Estou até o presente momento impressionado com a gravidade do que vi... Todo mundo costuma falar e sabe da ilustração do "homem que queria ser ajudado por Deus"... Então meu amigo leitor, viva a vida mesmo e faça a sua parte, pois assim, em um todo, estaremos cada qual cumprindo a sua e a parte que diz respeito a Deus não falhará.

Por fim; a chuva não mata ninguém e não é a primeira vez que acontece casos assim... Tenham todos uma ótima viagem e lembrem-se de fazer cada um a  sua lição de casa. 

sábado, 1 de outubro de 2011

1º de Outubro - Dia do vendedor.


Vendedor: Aquele que vende ou tem por profissão vender. 
Esta profissão é exatamente uma das mais importantes que existem e requer uma pessoa que possua um dom muito especial: O de encantar pessoas.

Encantar, no que me refiro neste contexto, não significa uma forma de enfeitiçar para enganar ou algo como magia, mas refiro no sentido real de causar satisfação, agradar profundamente.

Tive a oportunidade de ser um representante de uma empresa no ramos de bebidas e muitas vezes ouvi das pessoas ao meu redor que eu não era um vendedor, mas um "tirador de pedidos", visto que a própria bebida faz sua própria venda. Mas não era bem assim que acontecia.

Todo ramo de vendas com seu leque de produtos a serem oferecidos possuem aqueles "mais pedidos" os "mais vendidos" e os "cravos". Digo que os "mais pedidos" são aqueles que em cada visita todo cliente pede uma pouca quantidade. Os "mais vendidos" são aqueles que nem todos pedem por ele, no entanto quando se tem a venda dele, é em grande quantidade, superando os "mais pedidos". O último, "os cravos"; esses então são aqueles que ficam encravados no seu esquema de metas e que ninguém pede. É aquele produto que não tem grande aceitação no mercado por já haver certa marca liderando. Esse "cravo" é o que geralmente se dá mais proporção de comissão no ramo de bebidas, aonde muito sofri para dispersá-los.

Alto estado de adrenalina, tenso e ansioso. Era assim que eu me sentia a cada final de mês quando se aproximava o fim dos dias para o encerramento do período. Era a hora de sair visitando clientes de potencial,  insistir, reinsistir, chorar, implorar e não sei mais o quê, para no final ouvir do cliente: "Pode mandar pra mim..." ou "Está bem, pode colocar no meu pedido...".

Os "cravos" me perturbavam até no meu sono, juntamente com as metas de compradores e merchandising.
Quase sonhei que estava pedindo um COMPRADOR para adquirir os "cravos" daquele mês na Porta da Esperança, mas quando Silvio Santos abriu as portas não havia ninguém lá e a platéia em coro: Ahhhhh!

Vendedor... Independente de qual seja sua área... Parabéns pelo seu dia, parabéns por cativar as pessoas, parabéns por fazer a empresa em que trabalha progredir, parabéns por exercer uma das profissões mais importantes deste país e parabéns mais uma vez pelo seu dom de aproximar dos clientes e conquistá-los com sua inteligência.

Um grande abraço a todos os vendedores!