quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Meu primeiro Fiat 147 (Final).


Diante de tantas vezes que esse carrinho me deixou na mão, eu simplesmente me recusava a vendê-lo. Não valia tanto dinheiro assim, mas a razão por eu sofrer aquilo tudo era baseada na realização de ter aquele veículo. Espaço não tinha, mas era somente eu que precisava andar nele, então estava tendo espaço até demais.

O tempo passou e notei que boa parte do meu suado dinheirinho estava sendo injetado nele assim como se injeta medicamentos em quem precisa sobreviver, para que aquele 147 continuasse a existir comigo, ele praticamente me sugava de todos os lados. Perdi a conta de quantas vezes empurrei ladeira acima, perdi a conta de quantas vezes ele faltou freio ladeira abaixo, nem me lembro mais de quantas vezes “saiu do ponto” e não quis mais funcionar... É carrinho, na retrospectiva você deixou muitíssimo a desejar. E mesmo assim eu insistia nesse nosso relacionamento.

A gota d’água limite chegou quando diante de uma fila de carros no semáforo do centro da cidade, ele resolveu simplesmente “morrer”.
“Agora você apelou”! Na hora do rush, ele decide dormir. “Foi o ponto final na nossa relação”! Mas o tempo passou e eu investi o que podia para que ele voltasse a andar comigo, me levando nos lugares em que eu queria.

Parado um dia na porta de casa, com suas rodas laterais em cima do passeio, eu me preparava para sair com ele, quando fui abordado por uma pessoa na rua. Nossa conversa foi bem curta e direta quando fiquei sabendo do interesse desta pessoa... Comprar meu fiat 147. “Tudo bem”! Negociando, relatei o valor que o carro já estava para mim e fui surpreendido com uma grande realidade no mundo dos carros usados: Não importa o que você gaste nele, ele sempre terá o mesmo valor, pode até melhorar um pouquinho o preço, mas muito se perde...

O pretendente possuidor do 147 pediu para que eu funcionasse o motor e disse que nem precisaria andar no carro, bastaria a ele ouvir o barulho do bichinho... E depois de ouvir o barulho, o provável comprador me disse: Rajando!
Perguntei a ele o que seria isso, ele então me disse que o motor estava começando a ter folgas na parte de baixo, como virabrequim, bronzinas e bielas. Logo me disse uma notícia: “Eu até compraria seu carro, mesmo estando rajando, mas acontece que ele está com uma pequena trinca no chifrão.”.
Pronto! Acabei de saber que meu 147 sofreu infidelidade conjugal...
“Chifrão? Onde fica isso?”
Ele me mostrou apontando com o dedo sobre o tal detalhe que se encontrava comprometido no carro. Disse-me que com o passar do tempo o carro chega a quebrar entre a parte que vai o motor e a carroceria e  depois que isso acontecer, resta para ele o ferro velho, pois será difícil um bom funileiro remendar o carro,  depois disto, nunca mais dará alinhamento. Fiquei pasmado e ele foi embora agradecendo por verificar o carro.

E agora, eu estava com o meu 147 rajando e com o chifre quebrado... Digo; chifrão trincado.
Confesso que desanimei; o carro aparente bonito e que me largava a pé frequentemente, acabava de me incentivar a dispor dele. E assim, eu tentei, tentei, tentei e ninguém queria comprar um fiat 147. Anunciei no jornal, fui num encontro de final de semana de carros usados e nada! Passando em frente à uma revenda de carros, olhei e vi um colega. Estacionei meu carro e caminhei em sua direção, quem sabe ele compraria meu carro. Durante nossa conversa, fui notificado que ele apenas aceitaria uma troca e me disse que sua esposa adora o fiat 147. Se desse certo ela ficaria com o carro. Pronto! Pensei: “Rachei o tatu pelas costas”!
Aguardei alguns minutos e lá chega um fusca 79, caramelo. Desce do carro a esposa do meu colega e depois de alguns minutos conversando ela sai no carro para testar. Olhei o fusca dela e pensei: “Vou ficar com esse fusquinha”.

O danado do 147 fez tudo conforme manda o figurino e não me desapontou. Estranhei... Pensei que ele iria começar a falhar, apagar, desmaiar, morrer... Tudo que ele já fez comigo, mas não... Acho que ele percebeu que me deixou desapontado neste dia e fez boa atuação para sua nova dona.

Tudo resolvido, negociamos ali mesmo. Meu colega, um profissional de revenda de carros usados, havia aprovado o carro para sua esposa e me disse sobre o fusca, nota 10.
Fiquei satisfeito pelo negócio e parecia que eu tinha saciado a minha vontade de ter meu primeiro fiat 147, e ali mesmo despedi dele, entrei no fusca e fui embora para casa, já pensando em lavar e encerar o meu primeiro fusca.
Quando meus colegas souberam que eu desfiz do 147, me deram os parabéns dizendo:
“Você deve ter pedido um comprador na Porta da Esperança.” Outros falaram: “A Kibom comprou todos os 147 da cidade... Para fazer Kimerda.” E alguns: “O fiat 147 é pior do que doença contagiosa... A doença, ainda você passa pra frente.”
Pôxa vida! Será que só eu nesse mundo gosto do 147.
Bem, acho um carro bonito, compacto, mas teria que ser para a época. Eu posso falar desse carro, já tive um... No mais, só nas fotografias e nas lembranças... Outro? Nem pensar! Ou melhor, nem no sonho... Teve uma noite em que sonhei com um... Acordei no meio da noite... Ele me deixou na mão às 02:35 hs da madrugada.
Nem em sonho agora!

7 comentários:

  1. É... estava realmente pensando em comprar um... pensando bem... nem na bala!!! kkkkkk.... Abração e valeu pelo suspense das postagens do 147. Vc poderia ate ser diretor de cinema. Abraços meu jovem.

    Godofredo Shazznega - Goiatuba/PR

    ResponderExcluir
  2. Olha kra, vo te conta... esse negocio de carro vei,eh so pra quem eh loco memo,por eles eh claro! Valeu pela estoria, estou esperando outras. abração velho.

    Frederico Chaves - Amoeba-SP

    ResponderExcluir
  3. Que Show em... legal sua experiência com o carrinho, te ensinou várias lições, inclusive de que nem sempre o que queremos, vale a pena. rsrsrs.. Abração irmão...

    Geraldo Filho. Uberaba/MG

    ResponderExcluir
  4. Então esse carrinho é um sonho perdido. O que devo olhar antes de comprar um Fiat 147?
    mdcury@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  5. É esse carro é uma merda para quem não entende de carro todo carro bem cuidado é bom até mesmo um fusca.
    Já dirigi muito fusca e também ja andei muito no 147 do meu pai o 147 possuiu 4 marchas porem anda muito na segunda marcha, em brincadeiras com colegas já deixei fiat uno 2008 chevete até mesmo fusca para tras.
    Galera eu tenho vontede de comprar um fiat 147 reformalo vale muito apena um carro desse leve com um bom motor..
    Nem tudo que se ver na internet é verdade dirijam um em boas condições e iram entender...

    ResponderExcluir
  6. Esse carrinho é ótimo. Basta estar em bom estado. Eu vou comprar um e me interessou muito esse caso do chifrão. Parece ser sério mesmo.
    Obrigado e legal a historia.

    ResponderExcluir
  7. Chifre é problema pra tudo que é canto, até em fiat 147.
    Ri demais.
    Anderson Cruvinel.

    ResponderExcluir